CONTOS & NOVELAS


A Garota
Ela queria mudá-lo. Ele só queria ela...

Sinopse


Alexander Morton parecia ter a vida perfeita... Mas isto estava longe de ser a verdade. Se graduando em um curso que ele não desejava e tendo que lidar com uma relação conturbada e problemática com o pai - um famoso Médico Cirurgião - tudo o que o rapaz precisava no momento era uma válvula de escape para o seu dia a dia. Para sua surpresa, esta válvula aparece da forma mais inesperada possível: personificada como Suzana Leniscky, a garota dos sonhos de qualquer cara. E principalmente os dele. Então, ele fica obcecado com ela. 

O problema nisto tudo é que, ao que parece, Suzana não quer ser o bote salva-vidas de Alexander. O que ela quer é um Bom Garoto, não alguém com problemas. E isto é algo que o jovem nunca será - nem mesmo por ela. Mas será mesmo que tudo é tão preto ou tão branco como os dois imaginam? Neste conto Novo Adulto contemporâneo, Henri B. Neto (de ''Terra das Sombras'', ''Replay'' & ''Sonho Adolescente'') conta a breve história de um casal que tinha tudo para não dar certo. Entretanto, quase sempre, as aparências enganam.

Trecho de A GAROTA

Capítulo Um

Quando Alexander Morton tinha 21 anos, ele não tinha tempo para garotas. Não que ele mesmo não quisesse, pois ele queria... E muito. Mas ele não tinha tempo. Simples assim. E de acordo com o seu pai, o renomado cirurgião Abílio Morton, Alexander só poderia ter tempo para a sua prestigiada Faculdade de Medicina. Nada mais.


Entretanto, havia uma pequena brecha no acordo selado. Ele podia pelo menos olhar para garotas. E ficar interessado. Eventualmente, Alexander poderia levar uma delas (ou mais de uma) para a sua cama. Mas nunca, em hipótese alguma, poderia deixá-las que fossem a sua prioridade.

Muitas vezes, ele pensava que aquela sua vida não era - nem de perto - o que ele imaginava que seria quando era menor. Aos 12 anos, por exemplo, tudo o que o rapaz queria ser era um astro do Rock, famoso em todos os cantos e com uma legião de fãs alucinados. Aos 14, quando os hormônios estão em fúria, ele achava que chegaria aos 18 tendo uma namorada divertida e esperta ao seu lado. Sim, uma namorada. Apesar de ser conhecido entre os amigos (e pela metade do Campus) por seus excessos, Alexander Morton foi criado sob padrões antigos de comportamento. Antes de ser um canalha, mulherengo inveterado, com certa inclinação para vícios ilícitos e festas homéricas, Alex era um verdadeiro gentleman. Um gentleman egocêntrico, idiota e muitas vezes chamado de babaca, mas ele sabia tratar uma mulher.

No auge de seus 21 anos, o rapaz percebeu que não valia à pena ficar sonhando com ideais românticos. Homens não haviam sido criados para isto. Além do mais, nada do que ele imaginara se tornaria realidade. Exceto... A Garota. Com letra maiúscula.

Tecnicamente, ela não era sua namorada. Para falar a verdade, se dependesse das circunstancias, ela o odiava. Mas havia uma garota. Com a qual ele pode experimentar o pior e - ao mesmo tempo - mais incrível encontro da sua vida. Um encontro que, por obra do destino (e, em parte, por ele próprio) fora o mais desastroso de toda a história. Mas foi com esta garota que ele perdeu os seus sonhos... E conheceu a sua realidade.

- Vai fugir de mim para sempre? - Alex perguntou, entrando na sala de aula vazia, depois da última aula. Minutos antes, ele estava no corredor, só para ter certeza de que Matheus Reiz não estaria por perto. O malditamente perfeito Reiz.

- Eu não sei do que você está falando.

Ela estava linda, como sempre. E visivelmente feliz. Ele não poderia dizer se era pela sua aparição surpresa, mas o brilho estava lá. Em seus olhos. O rapaz também podia perceber que a garota sabia exatamente sobre o que ele estava falando. Se fosse possível, dava para ouvir o martelar alto de seu coração mesmo do lado de fora, onde a algazarra dos universitários preenchia o ar do começo da tarde.

Afastando aquele devaneio idiota de sua mente, Alexander deu um passo à frente. Ela, um passo atrás. Suas costas bateram no quadro de avisos fixado na parede, mas a garota não se importou. Apenas olhou-o, de certa forma intrigada.

- Eu não desisti de você...

Links úteis

Página do conto no Skoob: clique aqui

Música tema:


   


* * * * * * * * * * * * * * *

Recomeço
Ele partiu seu coração. Agora precisa consertá-lo.

Sinopse

Hélio Novais é bonito, popular e tem plena consciência disto. Todos querem um pedaço de sua vida badalada, mas ele não se sente tão maravilhoso assim... Ao menos, não desde que terminou o seu namoro com André – se revelando um verdadeiro cafajeste e quebrando o coração de seu ex-nerd no processo.

Agora, ambos se reencontraram no meio de uma festa. E, mesmo morrendo de medo pelos seus sentimentos, Hélio tem certeza que ainda não superou André. Mas como provar para o rapaz que ele merece uma segunda chance?


“Recomeço” é um novo conto novo adulto com temática LGBTQ de Henri B. Neto, autor de “A Garota”, “Replay” e “Sonho Adolescente”.

Trecho de RECOMEÇO

Parte Um

Rio de Janeiro. Sexta feira. Onze e meia da noite. 

Música alta, muita gente bonita e o incrível ambiente que só o Lugarzinho parecia ser capaz de proporcionar aos seus frequentadores. A atração da noite ainda não havia começado a tocar, mas o clima já estava nas alturas. Todos ali pareciam estar se divertindo. Todos conversavam aos berros, com um copo de bebida na mão ou então agitavam no meio da pista de dança improvisada do bar. Todos pareciam que queriam estar ali... Menos uma única pessoa. 

André estava sentado no canto mais escuro da festa, o mais longe possível das pessoas. Eu sabia muito bem qual era o motivo desse afastamento. Ou quem era. Talvez fosse a quantidade irresponsável de bebida que eu tinha ingerido, ou o tempo que se passou desde o momento em que ele me chutou, mas naquele instante, eu - Hélio Novais - sentia-me um verdadeiro lixo. 

Um cretino que teve muito mais do que um namorado, mas um melhor amigo... Alguém que poderia não ser de parar o trânsito como os corpos dançantes ao meu redor, mas que tinha um charme todo só para mim. Um completo idiota que experimentou o que muitos apenas sonham, mas que jogou tudo fora por não conseguir manter o pau dentro das calças. Um cara incrível, com quem podia conversar sobre tudo, em troca de dez minutos de tesão com o sarado da academia - que estava me usando tanto quanto eu o usava.  

Podem me odiar. Eu também me odeio. 

Sabia que eu era o motivo por ele se sentir tão excluído em um lugar que já foi tão nosso. Todas essas pessoas que estavam aqui agiam como se fossem meus amigos, mas só queriam um pouco do prazer vazio que eu era capaz de proporcionar. Por um pouco do meu sorriso, ou mesmo minha aprovação, poderiam renegar pessoas como o André só por ele ser um dos que eu joguei fora. Só por ser um dos que se importavam mais com o que alguém tinha por dentro do que por fora. O que era ridículo. Continuávamos agindo como se estivéssemos nos tempos de escola, mesmo que todos aqui neste barzinho já beirassem a casa dos trinta.  

O fato de me importar com um ex namorado no meio de uma festa, no meu lugar favorito, me fez sentir estranho. Era algo novo por completo. A culpa geralmente era um sentimento banal para mim. Estava dançando com gente que nem sabia o nome... Beijando pessoas cujos os rostos eu não conseguia nem memorizar. Mesmo assim, meus olhos estavam presos apenas nele. 

Tudo que conseguia ver era seu cabelo castanho escuro e cacheado, que caía sobre a testa em um penteado que deveria ser novo. A camiseta de super herói era um chamariz no meio de tanta roupa de marca, e se me virasse um pouco mais em sua direção, conseguiria ver uma parte pequena de seu rosto bondoso, a sua pele escura e o movimento inquieto das suas mãos grandes sobre a mesinha alta que ocupava.  
(...)

Links úteis

Página do conto no Skoob: clique aqui

Música tema: